Publicado em 03/03/2019 às 19h18 | 985 visualizações |

DIA INTERNACIONAL DA MULHER NASCEU DA LUTA

 Data foi o estopim da revolução russa

 

No próximo dia 8 de março, as trabalhadoras do Piauí, entre estas as trabalhadoras em educação básica pública, realizarão, na Praça da Liberdade, a partir das 16h, na Praça da Liberdade, protestando e resistindo juntas contra o machismo, racismo, violência, feminicídio e contra a reforma previdenciária de Bolsonaro.

O Dia Internacional da Mulher não se limita a entrega de flores em homenagem as mulheres. Ao contrário de outras datas comemorativas, esta não é uma data originalmente comercial, voltada para o lucro. Oficializado pela ONU em 1975, o Dia Internacional da Mulher era celebrado desde o início do século 20. Atualmente marca a luta pela igualdade de gênero, com protestos ao redor do mundo, mas sua origem está ligada a luta das Operárias dos Estados Unidos e da Europa que iniciaram uma campanha reivindicando seus direitos, visto que eram submetidas a condições de trabalho ainda mais degradantes do que a dos operários.

A origem desta celebração no nosso país, normalmente, é relacionada ao incêndio ocorrido em 25 de março de 1911 na Companhia de Blusas Triangle, quando 146 trabalhadores morreram, sendo 125 mulheres e 21 homens. Mas, registros mais antigos evidenciam que muito antes daquela data as mulheres já reivindicavam um momento especifico para suas demandas no contexto das lutas da classe trabalhadora.

No dia 26 de fevereiro de 1909, houve uma grande passeata em Nova York, com 15 mil mulheres clamando por melhores condições de trabalho. As operárias européias também agitavam nas fábricas. Em agosto de 1910, a alemã Clara Zetkin propôs, na Segunda Conferência Internacional das Mulheres Socialistas, a criação de uma jornada de manifestações e defendeu a criação de um espaço, no movimento sindical e na sociedade, para as questões das mulheres. 

Na Rússia, em 1917, as mulheres organizaram uma greve geral, no dia 8 de março, na indústria têxtil, contra fome, contra o czar Nicolau II e contra a participação do País na Primeira Guerra Mundial. O que culminaria com a revolução bolchevique, tanto que a data foi oficializada entre os soviéticos como celebração da "mulher heróica e trabalhadora".

Este resumo das lutas das mulheres por igualdade, respeito, melhores condições de trabalho, mais visibilidade social, mostram a importância histórica desta data por levantar o problema da desigualdade de gênero, que permanece até hoje, acentuando o compromisso social que devemos ter com as lutas das mulheres.

É com este espírito, que o Sinte-PI conclama todas as piauienses, em particular as trabalhadoras em educação pública básica do Piauí, que com destemor são a força e a grandeza do nosso sindicato, para que ocupemos a Praça da Liberdade no dia 8 de março, para celebrar e marcar posição contra o feminícidio, o machismo, racismo e a reforma previdenciária.

Mais de Local