Publicado em 20/10/2020 às 18h23 | 1096 visualizações |

NOTA PÚBLICA | Quem vai se responsabilizar por tantas vidas jogadas à própria (m)sorte?

 

NOTA PÚBLICA – RETORNO DAS AULAS PRESENCIAIS

O SINTE-PI, entidade que representa mais de 40 mil trabalhadores da educação pública do Estado do Piauí, vem a público mais uma vez manifestar e orientar aos trabalhadores da educação a não retornarem às aulas presenciais enquanto durar a pandemia do Covid-19.

O Piauí vem se destacando pelo aumento de casos positivos e mortes causadas pelo novo coronavírus. Com a retomada das aulas presenciais o governo do Estado e a Secretaria de educação coloca para cobaia 75 mil estudantes do 3º ano do ensino médio, mas esquecem que os números são muito maiores. Professores, funcionários, estudantes e seus familiares são expostos ao contágio por simples decisão do governo.

Nossas justificativas para o NÃO RETORNO PRESENCIAL:

1 – Os trabalhadores em educação do estado estão EM GREVE;

2 – O governo não respeitou o DIREITO dos servidores cumprindo a Lei e pagando o reajuste de 2019 e 2020;

3 – Governo não valoriza e nem respeita as promoções dos servidores e continua penalizando os aposentados;

4 – A maioria das escolas não têm estruturas para retornar presencialmente;

5 – A maioria dos servidores da educação estão no grupo de risco, convivem com pessoas idosas ou com comorbidades;

6 – É preciso que o governo cumpra com os protocolos estipulados por ele próprio no PRÓ-PIAUÍ;

7 – O mínimo que se exige do governo é a responsabilidade pela testagem em massa de servidores da educação e estudantes, através do modo PCI e entrega de EPIs, para que haja uma sensação mínima de segurança;

8 – O SINTE-PI ingressou com várias Ações Judiciais para barrar o retorno das aulas em plena pandemia e propondo alternativas para melhoria da estrutura das escolas. Até o momento aguardando decisão.

Esses são alguns dos pontos que levam os trabalhadores em educação a não ceder às pressões do governo ou colocar suas vida em risco.

Por fim, reafirmarmos nossa defesa da vida em primeiro lugar. Nossa orientação é que os trabalhadores em educação não retornem às aulas presenciais enquanto durar a pandemia. Quem vai se responsabilizar por tantas vidas jogadas à própria (m)sorte?

Teresina (PI), 19 de outubro de 2020

 

Direção SINTE-PI

 

Acesse o PDF

Tags

sem tags

Mais de Local