Publicado em 03/10/2020 às 06h55 | 977 visualizações |

NOTA PÚBLICA: Retorno das aulas presenciais agrava preocupação com “segunda onda” da pandemia

 

O Sinte Piauí concorda com as recentes declarações do secretário estadual de Saúde, Florentino Neto, de estudar ações para evitar uma "segunda onda" da pandemia do novo corona vírus, postura que sintoniza com a defesa que o sindicato faz pelo não retorno das aulas presenciais, visto que estas, no atual cenário da crise sanitária, potencializam a possibilidade de uma segunda onda da pandemia no Piauí.

A preocupação do Centro de Operações de Emergência, exposta pelo Secretário de Saúde, com os últimos dados referentes a aumento significativo de novos casos e óbitos, entre os dias 28 e 29 de setembro, é legitima , assim como a preocupação do sindicato dos trabalhadores em educação e de amplos setores da sociedade no que diz respeito ao retorno das aulas presenciais, sem a garantia de cumprimento dos protocolos sanitários.

Longe de ser uma previsão catastrófica, infelizmente, é concreta a possibilidade de uma "segunda onda" da pandemia, envolvendo crescimento em progressão geométrica de casos da doença causada pelo novo corona vírus.

Nesta perspectiva e em respeito as 2.122 pessoas que faleceram no Piauí, em função da pandemia, de acordo com dados da Secretaria de Saúde no dia 29 de setembro, o Sinte Piauí, continua defendendo que as trabalhadoras e trabalhadores em educação da rede estadual, estudantes e familiares se oponham ao retorno das aulas presenciais, não por questões políticas, mas pela sobrevivência de todos.

Teresina, 2 de outubro de 2020

- A Direção-

 

Tags

sem tags

Mais de Local