Publicado em 18/08/2020 às 20h47 | 6810 visualizações |

NOTA PÚBLICA: Sinte exige devolução de descontos indevidos cobrados nos contracheques da parcela antecipada do 13º salário

 

O Governo do Estado do Piauí anunciou a antecipação da 2ª parcela do 13º Salário dos seus servidores. A antecipação ocorreu no dia 14 de agosto, mas, os contracheques vieram informando apenas a parte líquida da parcela, sem discriminar os descontos legais, revoltando os trabalhadores em educação.

Assim, já na segunda-feira (17), o SINTE-PI enviou uma equipe para questionar essa situação, sendo informada de que esses descontos são referentes ao Piauiprev e ao Imposto de Renda e de que houve erros no pagamento da 2ª parcela do 13º salário.

Diante disso, o SINTE-PI encaminhou ofício ao Seadprev, a ATI e a Seduc para que sejam feitos novos contracheques com a devida discriminação dos valores bruto, dos descontos e do líquido de cada servidor, para que seja transparente o pagamento e corrigidos os erros no menor prazo possível.  

Esse governo, que antecipou a parcela do 13º salário, é o mesmo que não paga o reajuste do piso do magistério há mais de dois anos e que massacrou os aposentados com a reforma da previdência, reforma inconstitucional e contra a qual o SINTE-PI já ingressou com ação.

Ao invés de fazer propaganda enganosa, o governador Wellington Dias, deveria cumprir com o reajuste do Piso, referentes aos anos de 2019 e 2020 e pagar os 60% dos precatórios do FUNDEF aos trabalhadores em educação.

Continuaremos fiscalizando, não aceitamos estes descontos que, mais uma vez, mortificam a nossa categoria. Se necessário for, o Sinte Piauí cobrará judicialmente os valores descontados nos contracheques da categoria, em defesa da nossa valorização profissional, um dos pilares da educação pública de qualidade.

 

Teresina, 17 de agosto de 2020

   - A Direção-

 

 

Tags

sem tags

Mais de Local