Publicado em 13/08/2020 às 17h52 | 665 visualizações |

Em audiência na Alepi, SINTE-P reafirma ser contra as aulas presenciais

 

Em audiência pública virtual realizada na manhã desta quinta-feira (13/08), solicitada pelo deputado João de Deus (PT) e convocada pela Comissão de educação e cultura da Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi), várias entidades ligadas à educação no Piauí participaram do debate sobre o retorno às aulas presenciais, dentre elas o SINTE-PI representado pela professora Paulina Almeida, presidente da entidade.

Dentre os participantes estavam: o infectologista Carlos Nery, SINTE-PI, Sindserm (servidores municipais), UNDIME-PI, APPM, Sinepe (Sindicato das escolas particulares) , Sinpro, Seduc, Ministério Público, Semec, Fetag-PI e outras. E dos deputados João de Deus, Elisângela Moura e Nerinho, que coordenou a audiência.

O médico infectologista Carlos Nery disse que não é momento de retomar as aulas. “Chega a ser criminoso se pensar em retornar das aulas presenciais no estado nesse momento de pandemia. A situação ainda está grave”, disse Nery.

A presidente do SINTE-PI, professora Paulina Almeida, destacou que os trabalhadores da rede estadual de educação não retornarão às aulas presenciais, por considerar que a vida dos profissionais da educação, dos estudantes e familiares valem mais que o calendário letivo. “Não existe retorno seguro na rede pública, diante da precariedade existente nas escolas públicas. Temos que pensar no transporte público, transporte escolar, a falta de estrutura das escolas públicas, Equipamento de Proteção Individual (EPIs) que não tem suficiente nem para os profissionais e nem para os estudantes”, enfatizou Paulina.

O secretário de educação, Ellen Gera Moura, reconheceu que as escolas da rede estadual precisam passar por uma modificação até mesmo estrutural, para que possam atender a comunidade escolar e as recomendações sanitárias no pós-pandemia.

A presidente Paulina também lamentou uma ação precipitada da Alepi com a aprovação de projeto de protocolo para retorno as aulas presenciais na quarta-feira (12). “Lamentamos que na quarta-feira (12), os deputados aprovaram o Projeto de Lei Nº 129/2020, de autoria do deputado Francisco Limma (PT), que trata sobre os procedimentos e normas sanitárias para o retorno às aulas nos estabelecimentos de ensino do Piauí. Somos contrários a esse retorno. Entendemos que a pandemia está sem controle e tem um alto grau de transmissibilidades como mostram as pesquisas aqui no estado do Piauí”, destacou Paulina.

O Projeto foi aprovado em primeira e segunda votações, durante a sessão plenária da Assembleia Legislativa da quarta-feira, 12/08/2020, prevê a realização de testagem dos profissionais de educação e dos estudantes durante a pandemia do novo coronavírus para evitar a contaminação das pessoas após o reinício das aulas, além da adoção de outras medidas preventivas, como a obrigatoriedade do uso de máscaras.

O SINTE-PI continua afirmando que não irá abrir mão da segurança para toda a comunidade escolar. “Só voltaremos para as aulas presenciais com segurança. O Sinte-PI defende a vida”, finalizou Paulina.

Ao encerrar a audiência o deputado Nerinho destacou que foi a primeira audiência onde todas as entidades participantes concordaram em não retornar às aulas presenciais nesse momento de pandemia.

As entidades participantes devem compor o Comitê de Crise da Seduc para elaboração de um protocolo para um futuro retorno ao “chão da escola”.

 

Mais de Local