Greve fecha ruas do centro de Teresina – SINTE PIAUI
Você está aqui
Greve fecha ruas do centro de Teresina Agua Branca Altos Canto do Buriti Demerval Lobão Destaques Esperantina Notícias Regionais União 

Greve fecha ruas do centro de Teresina

A greve geral unificada que aconteceu na manhã desta terça-feira, 05 de dezembro, mobilizou centenas de trabalhadores de várias categoria e paralisou o centro de Teresina.

Os trabalhadores se concentraram na Praça Rio Branco, seguiram para o prédio do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) e pelas ruas do centro de Teresina. Com o Ato, várias ruas do centro de Teresina ficaram paralisadas, uma vez que os motoristas e cobradores do transporte público aderiram à paralisação.

Estiveram presentes representantes da CUT-PI, CTB, Intersindical, Conlutas, SINTE-PI e os Núcleos Regionais de Água Branca, Altos, Canto do Buriti, Demerval Lobão, Esperantina e União, além do sindicatos dos Bancários,  Servidores Federais, Docentes e estudantes da UESPI, comerciários, Confecções, Correios, Sintsprevs, Radialistas, Construção Civil, Vigilantes, Federação dos Servidores Municipais, movimento estudantil e outros. Outras manifestações aconteceram em vários pontos da cidade no pórtico da UFPI, em frente a Agespisa, na Avenida Frei Serafim e outros.

Uma das principais pautas de reivindicação do movimento grevista é a Reforma da Previdência, que afasta cada vez mais o trabalhador da aposentadoria, veja alguns pontos negativos:

  • dificulta a aposentadoria por invalidez (quando a pessoa se torna incapaz para o trabalho);
  • Exige o mínimo de 25 anos de contribuição e 62 anos de idade para as mulheres;
  • Acaba com a aposentadoria proporcional dos servidores públicos;
  • Professores/as da educação básica passam a se aposentar apenas aos 60 anos de idade, hoje é 55 anos;
  • Acaba com a aposentadoria por tempo de contribuição no INSS;
  • Assalariados/as rurais não vão conseguir se aposentar;
  • Proíbe o acúmulo de aposentadoria acima de 2 salários mínimos, mesmo de quem já está aposentado;
  • Acaba com a integralidade dos vencimentos. A professora não conseguirá se aposentar com o seu salário.

A Reforma não acaba com privilégios, como diz a propaganda do governo. Ela retira direitos do povo. Quem é privilegiado de verdade no Brasil, a Reforma não mexe.

#SinteNaLuta      #naoareformadaprevidencia    #nenhumdireitoamenos

Veja as fotos no facebook do Sinte-PI

 

Gleydjane Moura

Artigos Relacionados